top of page

Santander lucra mais de R$ 3 bi no primeiro trimestre de 2024



O Santander obteve Lucro Líquido Gerencial de R$ 3,021 bilhões no primeiro trimestre de 2024. O valor representa crescimento de 41,2% em relação ao mesmo período de 2023 e alta de 37,1% no trimestre anterior. O Lucro Líquido Contábil, por sua vez, também teve alta, de 42,3% em doze meses e de 38,6% no trimestre. O retorno sobre o patrimônio do banco (ROAE) ficou em 14,1%, o que representou um acréscimo de 3,5 pontos percentuais (p.p.) em doze meses. Segundo o banco, o resultado “está fundamentada na evolução da margem, evidenciando a nossa retomada do crescimento, aumento da nossa carteira de crédito no varejo e melhora do custo de crédito.” O lucro do período no Brasil representou 19,7% do lucro global do banco, de € 2,852 bilhões, 19,6% em doze meses.


A Diretora da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT), Rita Berlofa, lembra que, apesar do lucro bilionário, os trabalhadores sofrem com o descaso do banco. “Recebemos muitos relatos de trabalhadores da Bahia e de Brasília sobre a falta de assistência médica e o desinteresse do banco em solucionar o problema. Nos relatam também que muitos trabalhadores estão pedindo demissão pelas péssimas condições de trabalho. O Santander deveria respeitar e valorizar os trabalhadores que fazem o lucro desta empresa”, afirmou.



O Sindicato dos Bancários de Brasília informa que no Distrito Federal a realidade piora a cada dia, pois hospitais e clínicas não aceitam mais o plano de saúde Unimed e esta semana os dois maiores laboratórios de exames pararam de atender. O Santander continua sem apresentar uma solução para o problema, que é relatado desde o início do ano passado. Os empregados não podem mais esperar.



A holding Santander encerrou o ano com 55.210 empregados, com abertura de 1.654 postos de trabalho em doze meses, contudo, houve fechamento de 400 postos em relação ao trimestre anterior. A base de clientes aumentou em 4,0 milhões em relação a março de 2023, totalizando 67,1 milhões. Em relação à estrutura física, foram fechados 374 pontos de atendimento (inclui agências físicas, postos de atendimento bancário e lojas) em doze meses (89 no trimestre).


“Mesmo com esses resultados impressionantes, o banco reduziu postos de trabalho no trimestre, fechou agências, com o novo modelo implementado, batizado de Multicanalidade. É fundamental que o Santander cumpra o seu papel, como concessão pública no Brasil, atendendo todos os segmentos e todos os clientes indistintamente”, afirmou Wanessa Queiroz, coordenadora da Comissão de Organização de Empresa (COE) do Santander.


O Banco comunicou na terça-feira (30) que a partir de 1º de maio ocorreria mudanças nas nomenclaturas dos cargos Líder de Atendimento, que passarão a ter o nome de Especialista Santander (1,2 e 3), impactando cerca de 300 trabalhadores em todo país.


De acordo com o banco, neste momento a mudança não terá impactos na carreira e remuneração dos trabalhadores. “Iremos acompanhar este processo para certificar que os trabalhadores impactados pela mudança de fato não sofrerão qualquer prejuízo”, garantiu Wanessa de Queiroz, coordenadora da Comissão de Organização dos Empregados (COE) do Santander.


Caso o bancário tenha qualquer problema decorrente da mudança de nomenclatura, ele deve acionar o seu sindicato por meio do Canal de Denúncias. O sigilo é garantido.


Comments


wix-icones.png

@sindibancariosba

Ativo 1.png
whatsapp-logo-2022.png
bottom of page