top of page

ASSEMBLEIA DE VOTAÇÃO PARA APROVAÇÃO DE MINUTA




COM09522 - Anexo I - Minuta da Pauta de Reivindicações
.pdf
Fazer download de PDF • 544KB



Brasil mais justo, aumento real e direitos: bancários estão prontos para a luta!


Assembleia Geral Extraordinária que se realizará de forma remota/virtual durante o período das 08:00 horas até às 20:00 horas do dia 14 de junho de 2022, na forma disposta no site (www.sindibancarios.com.br) onde estarão disponíveis todas as informações necessárias para a deliberação.


A 24ª Conferência Nacional dos Bancários, depois de três dias de intensos e produtivos debates – sobre o Brasil que a gente quer, conjuntura política e social, setor bancário, condições de trabalho e saúde, comunicação e estratégias de luta – bancárias e bancários de todo o país, representados pelos 856 delegados e delegadas eleitos nos encontros e conferências estaduais, aprovaram a pauta de reivindicações da categoria e o calendário de lutas para a Campanha Nacional Unificada deste ano, a ser entregue para a Fenaban (federação dos bancos).


Representaram o Extremo sul da Bahia no evento, os colegas diretores do nosso Sindicato Gildenê Prates como observador presencial e Moisés Araújo, como delegado presencial.


Entre os pontos da pauta de reivindicações aprovada na 24ª Conferência Nacional dos Bancários estão:

Reposição salarial e nas demais verbas: Inflação do período entre 31 de agosto de 2021 e 1º de setembro de 2022 (INPC) mais 5% de aumento real;

Aumento maior para o VR e VA;

Garantia dos empregos

Manutenção da regra da PLR, atualizada pelo índice de reajuste;

Jornada contratual de 4 dias de trabalho, entre segunda e sexta-feira;

Fim das metas abusivas;

Combate ao assédio moral;

Proteção aos trabalhadores adoecidos;

Acompanhamento e tratamento de bancários com sequelas da Covid-19.

“Moisés Araújo, que é o atual diretor coordenador do Sindicato dos bancários do Extremo sul da Bahia lembra que a "nossa campanha começou em maio, com a consulta à categoria, em seguida conferências estaduais, e finalizamos a Conferência Nacional. O resultado da consulta refletiu a real necessidade da categoria. Nas cláusulas econômicas, as principais reivindicações foram por aumento real, PLR maior, e reajustes no vale-alimentação e refeição. Entre as cláusulas sociais, a consulta apontou também o fim das demissões, manutenção dos direitos e o combate ao assédio moral. E destaca como a atual política dos bancos compromete a saúde dos empregados: um terço dos bancários responderam que usam medicamentos controlados.

A presidenta da Contraf-CUT e também coordenadora do Comando Nacional dos Bancários, Juvandia Moreira, lembrou que o lucro somado dos cinco maiores bancos do país (Caixa, Banco do Brasil, Bradesco, Itaú e Santander) alcançou R$ 27,6 bilhões entre o final de março de 2021 e o final de março de 2022, crescimento de 17,5% no período.


“Mais do que recompor a inflação, os bancários, que trabalharam para garantir lucros astronômicos aos bancos, querem ter aumento real em seus salários e a manutenção de todos os direitos previstos na Convenção Coletiva de Trabalho em vigência”


Juvandia Moreira, presidenta da Contraf-CUT e uma das coordenadoras do Comando Nacional dos Bancários

“Proteção aos trabalhadores adoecidos


Na opinião do diretor do Sindicato Gildenê Prates, um dos debates mais importantes foi sobre as questões de saúde. Gildenê que é membro do conselho municipal de saúde de Teixeira de Freitas, ressalta a importância de atualizar cláusulas relacionadas com a saúde, e também incluir novas, que garantam a proteção, tratamento e direitos dos trabalhadores afetados por sequelas da Covid-19.


"Precisamos atualizar cláusulas relacionadas com a Saúde. Isso se faz necessário pelas mudanças implementadas pelo INSS, o que abre brechas para os bancos não pagarem, por exemplo, a complementação. Além disso, temos que levar para a mesa de negociação, e para o futuro governo, esse importante debate sobre a necessária proteção social dos trabalhadores adoecidos, completou Gildenê.


Fim das metas abusivas

O secretário de Saúde do Trabalhador da Contraf-CUT, Mauro Sales explica que o fim das metas abusivas é outro ponto chave da Campanha Nacional Unificada dos Bancários.


“Nós queremos negociar e avançar em travas nesse modelo adoecedor que são os programas de metas abusivas. É um mecanismo que precisa ser travado. Queremos discutir a gestão dos bancos. Queremos negociar metas coletivas; que as metas tenham participação dos trabalhadores; queremos negociar a diferenciação por agências, dependendo de localização e número de clientes. É essencial que este seja um dos temas principais na nossa campanha” reforça.


Aumento maior no vale-refeição e vale-alimentação


Também foi aprovado reajuste diferenciado e maior nos vales-alimentação e refeição. A proposta está em consonância com a inflação, que atingiu dois dígitos, e com as respostas da categoria na Consulta Nacional, que indicaram que este tema é prioritário para 62% dos bancários.


Assembleias - A minuta de reivindicações e as resoluções aprovadas pela 24ª Conferência Nacional dos Bancários serão analisadas em assembleias a serem realizadas por sindicatos dos bancários em todo o país nesta segunda 13 e terça-feira 14 e, após aprovada, será entregue à Fenaban na quarta-feira 15.


O Sindicato dos bancários do Extremo sul da Bahia convoca toda categoria para Assembleia Geral Extraordinária que se realizará de forma remota/virtual durante o período das 08:00 horas até às 20:00 horas do dia 14 de junho de 2022, na forma disposta no site (www.sindibancarios.com.br) onde estarão disponíveis todas as informações necessárias para a deliberação.

Opmerkingen


wix-icones.png

@sindibancariosba

Ativo 1.png
whatsapp-logo-2022.png
bottom of page