JUNTOS ENFRENTAMOS DESAFIOS E SOMOS MAIS FORTES







JUNTOS ENFRENTAMOS DESAFIOS E SOMOS MAIS FORTES

Editorial assinado pela Diretoria Executiva do Sindibancários do Extremo sul da Bahia





Apesar das dificuldades impostas pela conjuntura em que vivemos nos últimos anos, pela pandemia, pela crise econômica mundial, agravada aqui no Brasil pela forma de governar do atual presidente, ressaltamos a luta e resistência da categoria bancária.  Graças à organização dos bancários (seus Sindicatos, Federações, Confederação e Centrais Sindicais) que com muita luta conquistaram e garantiram direitos como participação nos lucros, jornada de seis horas, tíquete alimentação, data-base, dentre outros direitos importantes para a categoria bancária.

Há quase quatro décadas o nosso Sindicato tem mostrado através de assembleias, manifestações e greves disposição para enfrentar a intransigência dos banqueiros, que a cada dia criam novas estratégias de exploração.

Resultado desta organização, luta e mobilização, a categoria bancária conquistou na Campanha Nacional Unificada de 2021 reajuste salarial de 10,97% que correspondeu à reposição integral do INPC acumulado entre setembro de 2020 e agosto de 2021, mais ganho real de 0,5%.

A luta em defesa dos bancos públicos, contra as demissões nos bancos privados e o combate constante ao assédio moral em plena pandemia fizeram do ano de 2021 um ano de muitos desafios.

 O Negacionismo e as fake news, aliado ao péssimo gerenciamento do governo federal e o desrespeito dos bancos com a vida dos bancários e da população, maximizaram os efeitos da crise sanitária e econômica que estamos vivendo. Muito das suas ações fragilizam ainda mais a segurança sanitária dos bancárixs.

O Sindicato com sua diretoria, com os cuidados sanitários devidos, buscou ao máximo estar presente e ouvindo os bancário/as de sua base: Visitas aos locais de trabalho, manifestos e negociações para garantir que os protocolos de segurança fossem respeitados, tais como: Uso de máscaras adequadas, álcool em gel, sanitização das agências, o afastamento de bancários com suspeita de contaminação e a testagem dos funcionários próximos, dentre outras ações, foram prioridades no último ano.

Dias difíceis e dolorosos para todos nós, perdas irreparáveis, sequelas físicas e emocionais.

Se isso não bastasse, ao findar de 2021 e entrar do novo ano, aumento do desemprego, dos preços, voltando a famigerada inflação, sem controle. Estatais importantes e estratégicas ameaçadas pela política entreguista do governo federal aliado com mais ameaça aos direitos dos trabalhadores. Esse é o tom e a cor da atual conjuntura. Mas os desafios não pararam por aí, fomos surpreendidos ao desafios provocados pelas fortes chuvas de dezembro que inundaram cidades e causaram prejuízos e mortes no Extremo sul da Bahia. Os bancários atenderam à convocação do Sindicato e participaram de forma brilhante na doação de alimentos, roupas e diversos outros ítens de sobrevivência nas cidades mais afetadas.

A não realização da nossa festa de Confraternização em 2021, atendeu à preocupação dos bancários que em enquete feita pelo Sindicato, manifestaram preocupação com a segurança da saúde e o risco de contaminação pela aglomeração em festas, naquele momento.

A Agenda personalizada e o panetone formaram o kit de final de ano, que o Sindicato entregou a cada bancário. Um mimo para os dias desafiadores de todos nós sobreviventes.

Prestar contas do exercício financeiro de 2021 com o rigor fiscal e a transparência que exigem a história e a responsabilidade assumida pela diretoria do Sindicato, é também um convite e uma convocação para os colegas participarem ativamente da organização da Entidade, na elaboração do calendário de atividades prioritárias e investimentos da nossa previsão orçamentária para 2022. Vamos construir juntos. Temos muitos desafios e muita luta pela frente.

A Campanha nacional dos bancários para renovação dos acordos coletivos em um ano de eleições gerais será um grande desafio para todos os trabalhadores.

Não serão definidos apenas os caminhos de mobilização da categoria, mas temos o desafio de decidir se o Brasil continuará a ter empresas e bancos públicos, se a inflação será controlada, se os salários vão recuperar o poder de compra, se o desemprego vai continuar aumentando.

“Organizar as finanças do Sindicato de forma transparente e planejar com eficiência nossos investimentos em ações capazes de garantir e ampliar os direitos dos e das bancárias é o nosso compromisso, afirma Gildene Prates, atual secretário de finanças do sindicato.



wix-icones.png

@sindibancariosba

Ativo 1.png